terça-feira, 2 de novembro de 2010

Saiba como se tornar um doador de medula óssea

Doar é muito simples e não prejudica a saúde do doador. Para tirar as dúvidas da população, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) disponibiliza informações sobre como e onde doar.
Como aconteceu com a atriz Drica Moraes, que vive o drama da leucemia, 70% das pessoas que precisam de um transplante de medula óssea não encontram um doador compatível dentro da família. Nesse caso, a alternativa é procurar no cadastro do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Doar é muito simples. O primeiro passo é para ser um doador é procurar um hemocentro para preencher uma ficha com dados pessoais como nome, endereço e telefone e coletar cinco ml de sangue. É com esse material que vai ser feito o teste de HLA, o exame que determina as características genéticas de uma pessoa, e que é fundamental para saber se existe compatibilidade entre doador e receptor.

As características genéticas dos doadores ficam guardadas em um banco de dados do Redome, na internet, e com acesso restrito aos médicos. As informações dos pacientes que precisam do transplante ficam no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme).

Um programa de computador cruza os dados para encontrar um doador e um receptor que tenham entre 90% e 100% das suas características genéticas idênticas. Só assim, o transplante pode acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário